Please reload

Siga

 A coordenadora do projeto Sâmia Batista, a diretora Fernanda Martins e Juliano Ferreira, representante do Rumos Itaú Cultural. Foto: Nailana Thiely

Depois de passar pelos municípios marajoaras onde foram feitas as filmagens, o documentário "Marajó das Letras", dirigido...

Começou ontem a terceira etapa do nosso projeto, com as exibições do documentário "Marajó das Letras - Os abridores de letras da Amazônia Marajoara". O primeiro município a receber a mostra do doc foi Breves, com público de 200 pessoas. Depois as exibições serão realiz...

O documentário da etapa Marajó do projeto Letras que Flutuam já está em fase de edição. Enquanto isso, confira algumas fotos de nosso making off:

 Equipe filmando na beiro do rio.

 A diretora Fernanda Martins em ação.

 André Mardock e Marcelo Rodrigues filmando em Currali...

Além das embarcações, os abridores de letras também costumam fazer muitos trabalhos em fachadas de pontos comerciais localizados em municípios do Marajó. A fotógrafa Nailana Thiely clicou algumas dessas fachadas emblemáticas:

O pedagogo Rossini é proprietário de um estaleiro em Curralinho, onde constrói os barcos, inspirando vários sobrinhos a seguirem a profissão de abridores de letras. Foto: Nailana Thiely.

Rosemiro, mais conhecido como Miro Graffit, intercala o trabalho tradicional da pin...

 Orla de São Sebastião de Boa Vista. Foto: Nailana Thiely.

Dentre as cidades mapeadas pelo projeto Letras que Flutuam, Curralinho e São Sebastião da Boa Vista são bem coloridas, e agitadas também. Aqui também os abridores utilizam outras técnicas e ferramentas, e a pist...

Por ter um motor anexado à popa, a rabeta é um meio de locomoção rápido, utilizado para o deslocamento das casas no interior para a cidade. Por ser menor que um barco, tornou-se o meio de transporte predominante entre os ribeirinhos, permitindo que se tornem independen...

 O abridor Valmir Formigão pintando letra de barco em São Sebastião da Boa Vista. Foto: Nailana Thiely.

O abridor de letras é o profissional pesquisado pelo projeto Letras que Flutuam, que busca registrar as letras de barcos da Amazônia enquanto manifestação cultural e...

A primeira etapa do projeto Letras que Flutuam, em 2014, investigou o ofício dos abridores de letras em Belém, Barcarena, Abaetetuba e Igarapé-Miri. Agora é a vez de mapear os abridores da região da Ilha do Marajó, nos municípios de Curralinho, Breves, Ponta de Pedras,...

Please reload

  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square